quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Aeroporto de Rondonópolis: Projeto para esteira de bagagem não vingou



O usuário do Aeroporto de Rondonópolis chegou bem perto de ter uma esteira de bagagem à disposição no ano passado, mas, esse conforto, considerado básico nesse tipo de espaço, ainda deve demorar a chegar. Com a entrega do Maestro Marinho Franco para a iniciativa privada, os trâmites até então existentes para a instalação da esteira foram interrompidos e os recursos disponíveis devolvidos.

A instalação da esteira é uma demanda antiga e quem vem sendo acompanhada pelo A TRIBUNA há tempos. Devido as críticas e forte pressão da sociedade, especialmente do Grupo de Mulheres em Prol de Rondonópolis, entre as melhorias que foram conquistadas para o aeroporto nos últimos anos, estava a necessária esteira.

A Prefeitura chegou a realizar a licitação para aquisição e instalação, após a liberação de uma emenda da Assembleia Legislativa. A concorrência pública foi vencida pela Bidding Comercial Eirelli, com contrato no valor de R$ 101.198,22, vindos de emenda da ALMT e de recursos próprios, mas a instalação nunca aconteceu. Com o processo de leilão do aeroporto finalizado, e o local ainda sem a esteira, muitos acabaram se perguntando o que houve então com essa licitação e com o recurso disponível.

A Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito informou ao A TRIBUNA que a compra foi cancelada, porque seria finalizada dentro do período de transição da gestão do aeroporto do Município para a empresa vencedora do leilão. Com isso, nenhuma melhoria poderia ser realizada no local, porque “o inventário de todo o imóvel, mobiliário e demais itens que entraram na concessão já estava pronto”. Com relação ao recurso do Governo do Estado, que seria usado em parte na aquisição da esteira, a Prefeitura informa que o valor foi devolvido.

O consórcio que assumiu o aeroporto, Centro-Oeste Airports (COA), informou ao A TRIBUNA que a instalação da esteira na área de desembarque do Aeroporto de Rondonópolis faz parte do Plano de Investimentos a ser implementado pela empresa, mas não ofereceu nenhum prazo para isso.

Como houve demora do Município enquanto administrador, e ainda não há prazo da empresa que assumiu o aeroporto, a instalação da esteira deve levar tempo. Essa esteira é cobrada há anos para melhorar o conforto dos passageiros e reduzir o tempo para retirada das malas, que hoje ficam amontoadas umas as outras no momento de entrega para os passageiros.

FONTE: A TRIBUNA MT

0 comentários: