quinta-feira, 22 de agosto de 2019

#PUBLICAÇÃO1000 - Azul expande malha no Mato Grosso em parceria com Asta; operação começa em 90 dias

#PUBLICAÇÃO1000 - Azul expande malha no Mato Grosso em parceria com Asta; operação começa em 90 dias
Adalberto Bogsan e Marcelo Bento Ribeiro
Atender mercados regionais está no DNA da Azul Linhas Aéreas desde sua fundação, em 2008. Hoje (22), a aérea deu mais um passo para a consolidação dessa estratégia ao firmar um acordo interline com a Asta, empresa sub-regional que opera no interior do estado do Mato Grosso. Com a novidade, que deve entrar em vigor em até 90 dias, a Azul agrega sete destinos no estado e passa a atender 111 cidades brasileiras.
As duas empresas que transportam passageiros há praticamente o mesmo tempo agora somam forças para incrementar os negócios e expandir a atuação, com benefício direto aos consumidores. Assim que a parceria for iniciada – o que depende apenas da conclusão de um processo de certificação da Asta junto à International Air Transport Association (Iata) e da integração de sistemas – os clientes poderão comprar passagens nos canais de venda das duas empresas, em um único tíquete e com valores negociados.
“Existe um enorme potencial espalhado pelo Brasil inteiro e a demanda não está apenas em São Paulo, no Rio de Janeiro ou em Brasília. O País continua se interiorizando via agronegócios e mineração e essa parceria nos leva a uma região que é muito forte economicamente, mas que não tem aeroportos com estrutura para receber uma aeronave como os ATRs que operamos”, pontuou Marcelo Bento Ribeiro, diretor de Alianças da Azul.
Dados de órgãos oficiais de aviação corroboram a leitura do executivo, já que o número de voos domésticos per capta no Brasil é de apenas 0,5 – o que quer dizer que cada brasileiro viaja “meia vez” por ano. No México e na Colômbia, essa taxa chega a 0,7; no Chile é de 1,2; e, nos Estados Unidos, 2,6.
Acordo inédito
Essa é a primeira parceria doméstica da Azul, que reforçou o plano de expandir a operação para outras 30 cidades potenciais nos próximos anos. A possibilidade de usar o mesmo modelo de acordo não foi descartada, entretanto, a quantidade pequena de empresas sub-regionais em atuação pelo País engessa a expansão por essa via. “Não temos nada de concreto”, frisa Bento.
Fundada em 1995, a Asta operou até 2018 como empresa de táxi aéreo. Inicialmente focada em cargas, a companhia recebeu autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em 2009 para operar voos regulares com passageiros, o que hoje representa 95% do negócio. No ano passado, começou o processo legal para se tornar uma linha aérea e aguarda apenas a obtenção do Iata Standard Safety Assessment (Issa), certificação de  participação voluntária que garante a combinação de qualidade e segurança das operações para empresas menores.
O documento aumenta a projeção das empresas, o que dá à Azul segurança para firmar o acordo interline. Em termos de negócios, José Luiz de Oliveira Neto, diretor financeiro da Asta projeta 30% de aumento nas receitas quando a operação estiver consolidada, o que deve acontecer entre oito e dez meses após o início da parceria.
A operação conjunta será realizada em três aeronaves modelo Cessna Grand Caravan, de nove lugares partindo de Cuiabá para Água Boa, Canarana, Juara, Juína, Lucas do Rio Verde e Tangará da Serra, além de Cuiabá e Rondonópolis, onde a Azul também atua. “A malha foi montada de forma a garantir oferta complementar de voo nos destinos onde já temos presença e em horários que permitam rápida conexão com nossos voos”, diz Bento.
Além de trazer comodidade ao passageiro – com reembarque eficiente, economia de tempo e facilidades como check in único e despacho de bagagens direto ao destino final -, a iniciativa também facilita a vida financeira dos clientes corporativos do agronegócio, maior filão da sub-regional. “O viajante pode ir e voltar no mesmo dia ou fazer apenas um pernoite, o que diminui o custo para as empresas”, defende Adalberto Bogsan, CEO da Asta.
Outros dois Cessna Grand Caravan se juntarão à frota da Asta ainda neste ano e, em março de 2020, a companhia terá seu primeiro Twin Otter. A aeronave tem capacidade para 19 passageiros para atender às cidades com maior demanda, como Rondonópolis e Primavera do Leste que têm voos diários e chegam a duas frequências às segundas e às sextas-feiras.
Bogsan reforça que a estratégia da empresa é crescer, sem perder sua identidade de empresa sub-regional. “Queremos evoluir em número de aeronaves e não no tamanho delas. A ideia é ter aviões que acomodem 40 passageiros, no máximo, para continuarmos atendendo a esse perfil”, finaliza.

Azul planeja operações para Santa Cruz de La Sierra a partir de Cuiabá

Azul planeja operações para Santa Cruz de La Sierra a partir de Cuiabá
Marcelo Bento Ribeiro, diretor de Alianças da Azul
A Azul já tem no radar uma nova operação internacional. A aérea planeja operar a rota entre Cuiabá, no Mato Grosso, e a cidade de Santa Cruz de La Sierra na Bolívia. A empresa depende apenas da resolução de questões legais e de infraestrutura que permitam a internacionalização do aeroporto de Cuiabá.
“Há algum tempo está nos planos da Azul voar para a Bolívia e nós queremos fazer isso a partir de Cuiabá. O grande problema ainda é a questão da internacionalização do aeroporto, resolvida esta questão este primeiro destino a partir de Cuiabá seria Santa Cruz de La Sierra. É uma rota que também é muito interessante para o agronegócio”, explica Marcelo Bento Ribeiro, diretor de Alianças da Azul.
A expectativa é que após a concessão do aeroporto, realizada em março, os procedimentos para garantir a infraestrutura necessária para a internacionalização sejam agilizados. “Conversamos frequentemente como os novos administradores do aeroporto para saber desta possibilidade”, completa.
O aeroporto foi adquirido pelo Consórcio Aeroeste por R$ 40 milhões, no bloco que incluía ainda os aeroportos de Sinop e Rondonópolis, nos quais a Azul também opera, além de Alta Floresta.

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Doação de área pode resolver problema jurídico do aeroporto de Barra do Garças

Doação de área pode resolver problema jurídico do aeroporto de Barra do Garças
O ato de doação da área de 174 hectares referente ao aeroporto de Barra do Garças, ocorreu na sexta-feira (16/8), na sede do Ministério Público Federal (MPF). Sem a negociação entre a prefeitura e o proprietário do terreno, que tornou a unidade regular, o município corria o risco de perder convênio com o governo federal que deve investir R$ 35 milhões no local.    
Em julho, o MPF revelou a possibilidade de desmobilização do terreno do aeroporto de Barra do Garças, ao abrir um inquérito civil para investigar possíveis irregularidades. Segundo a ação, a União não teria o registro imobiliário da área ocupada pela unidade.    
Ocorria que, mesmo funcionando há 50 anos, o aeroporto não tinha documentação para a área exata onde funciona. Segundo a procuradoria do município, a escritura existente era fria, com uma matrícula deslocada. A União detinha 250 hectares para o funcionamento da unidade, mas não havia documentação referente ao local que ela, de fato ocupava.    
Em negociações com os proprietários da área, a prefeitura de Barra do Garças e o MPF, ficou acordado a doação de 174 hectares, área efetivamente utilizada pelas estruturas do aeroporto. O terreno havia sido vendido, então o ex-proprietário, José Carlos Marques Nogueira com sua esposa, Thaís Regina Ferrari Nogueira, arcaram com a doação de 50% e o comprador, José Geraldo Garla, doou o restante.    
Assessoria
Aeroporto de Barra do Garças MPF
Na sede do MPF, em Barra do Garças, município e proprietários de fazenda, negociaram doação
A Secretaria de Patrimônio da União já havia se manifestado, considerando que a posse por parte do governo seria incontestável, já que o aeroporto funciona, no local, desde a década de 1960.    
Mas a preocupação do município era em perder o convênio com o governo federal, que deve liberar R$ 35 milhões para investimento na unidade. Com a área devidamente registrada para o aeroporto, o montante poderá ser aplicado na construção de um novo terminal de passageiros de 800 metros quadrados, nova pista de taxiamento e pátio de aeronaves, além da regularização das faixas de pista.

Vale destacar que o aeroporto de Barra do Garças foi construído na gestão do ex-prefeito Carolino Gomes dos Santos (1983 a 1988) e apresentou essa dificuldade com relação á area cuja matrícula era particular e se tornou um dilema que se arrastou por vários anos. A novela terminou com esse acordo celebrado em prol do aeroporto. 

Parabéns à todos os envolvidos neste ato que mantém aeroporto em atividade e com perspectivas de receber mais investimentos

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Rondonópolis poderá receber voos de mais uma companhia

Rondonópolis poderá receber voos de mais uma companhia
Modelo de aeronave que é operado pela MAP – ATR 72 (fotos: Divulgação)
A MAP Linhas Aéreas, empresa que atua na aviação regional entre os estados do Amazonas e o Pará, poderá vir a operar voos também para Rondonópolis. Informações iniciais dão conta de que a companhia, possivelmente, disponibilizará voos partindo da cidade com destino ao Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP), mas ainda não há informações confirmando a quantidade de voos semanais e nem quando a empresa começará, de fato, a atuar na linha.
A notícia de que a MAP poderá vir a operar no aeroporto local foi divulgada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que confirmou a alocação provisória dos 41 horários diários de partidas e chegadas (slots) da extinta Avianca Brasil no Aeroporto de Congonhas, sendo que a MAP conseguiu reservar para si 12 slots, como é chamado o direito de pousar ou decolar em aeroportos congestionados, e solicitou licença para operar voos para Rondonópolis e mais outras seis cidades.
A aeronave usada será o modelo ATR 72, que tem capacidade para até 74 passageiros. A informação, mesmo que preliminar, é um alento para as pessoas que precisam constantemente viajarem para São Paulo e vice-versa.
A MAP Linhas Aéreas é uma companhia brasileira sediada em Manaus, fundada e homologada no ano de 2011. Atualmente, operam no aeroporto de Rondonópolis a companhia Azul e América do Sul-Táxi Aéreo (Asta).

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Empresa aérea confirma voos entre Lucas do Rio Verde a Cuiabá

Empresa aérea confirma voos entre Lucas do Rio Verde a Cuiabá
Operação dos voos entre Lucas do Rio Verde e Cuiabá começa no próximo dia 27 (terça-feira)

Conforme adiantado pelo Portal da Cidade, Lucas do Rio Verde passará a contar com voos regulares interligando o Aeroporto Bom Futuro a Cuiabá. Os serviços serão prestados pela Asta Linhas Aéreas e começarão a operar a partir da próxima terça-feira (27).

O anúncio do transporte de passageiros entre as duas cidades foi adiado por questões burocráticas, mas a direção da companhia emitiu nota informando que, a partir de hoje (quarta-feira, 13), estão confirmadas as rotas para Barra do Garças e Sinop, além de Lucas do Rio Verde.

O diretor comercial da Asta Linhas Aéreas, Jean Carlos, disse ao Portal da Cidade que a implantação dos voos entre o Aeroporto Bom Futuro e Cuiabá era uma demanda de muitos empresários da região. Além disso, ele destacou que, graças a uma parceria com outra companhia aérea, outros destinos poderão ser acessados a partir do aeroporto do município.

AGRONEGÓCIO – “Nosso foco são os passageiros do agronegócio, pessoas que precisam circular com agilidade, segurança e conforto pelas cidades do interior do estado (...) As altas demandas do segmento exigem uma logística de transporte que atenda esses clientes e a Asta está cumprindo esse papel”, explicou o executivo.

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Asta inaugura hoje (13) linha aérea que atenderá Barra do Garças, Água Boa e Canarana

Asta inaugura hoje (13) linha aérea que atenderá Barra do Garças, Água Boa e Canarana

A Asta Linhas Aéreas realiza nesta terça-feira (13), o voo inaugural da linha comercial que atenderá três cidades do Vale do Araguaia e a Capital do Estado, Cuiabá. A chegada da aeronave Caravan está prevista para às 16h20 (horário de Brasília) no aeroporto de Barra do Garças. Essa será a terceira linha aérea com conexão em Barra.

Com as linhas Cuiabá e Goiânia da Azul Linhas Aéreas, Barra do Garças contará com voos para Água Boa e Canarana pela Asta. A empresa já opera com o transporte de passageiros desde 2009 em nove cidades de Mato Grosso, atendendo às regiões Norte, Médio-Norte e Centro-Sul do Estado e agora chega ao Leste.

A Asta Linhas Aéreas irá operar às terças e sábado, Cuiabá, Canarana, Água Boa e Barra do Garças, e às quartas e domingos, no sentido inverso, Barra do Garças, Água Boa, Canarana e Cuiabá. Os horários são compatíveis com os voos da Azul para Cuiabá e Goiânia, facilitando a vida dos usuários.

Nessa segunda-feira (12), o prefeito Roberto Farias recebeu em seu gabinete o diretor comercial da Asta, Jean Carlos Simi, que o convidou para comparecer ao aeroporto de Barra do Garças para o batismo oficial da aeronave. O prefeito destacou a implantação de mais uma linha área na região.

“A implantação da linha da Asta mostra o potencial do Araguaia e consolida Barra do Garças como cidadã-mãe da região e será um importante investimento para o desenvolvimento geoeconômico das cidades que serão beneficiadas, além de facilitar a vinda de empresários que desejam conhecer o potencial regional”, disse o prefeito, agradecendo a Câmara de Vereadores pelo trabalho em conjunto que garantem esses investimentos.

O diretor comercial da empresa, Jean Carlos agradeceu o apoio do prefeito Roberto Farias na implantação da linha. Segundo ele, a empresa chega à região para atender uma antiga demanda da população para a interligação área com Cuiabá e Goiânia e também a parceria com a Azul que garantirá conexões com as duas capitais.

“Os horários são os mesmos para atender a clientela que deseja fazer a conexão sentido a Capital do Estado ou Goiânia”, ressaltou, informando que os valores das passagens podem ser conferidos pelo site: www.voeasta.com.br

Da redação AguaBoaNews: uma passagem de Água Boa a Barra do Garças para o dia 17 de agosto custa 559,00 e de Barra a Goiânia a passagem é 385,00 totalizando: 944,00


quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Consórcio Aeroeste deve antecipar vinda para Alta Floresta

Consórcio Aeroeste deve antecipar vinda para Alta Floresta
A empresa que irá assumir o Aeroporto Osvaldo Marques de Alta Floresta, o Consórcio Aeroeste, esteve em Alta Floresta no inicio dessa semana para uma série de reuniões com o prefeito Asiel Bezerra e também, conferir “in-loco” como funciona toda estrutura.
A previsão é de que o Consórcio antecipe a vinda para Alta Floresta e inicie o processo de transição público/privado já no inicio de setembro. Nesse primeiro momento deverá acontecer melhorias nos banheiros; sinalizações de informação; internet wi-fi gratuita; sistemas de climatização; escadas e esteiras rolantes; elevadores, entre outras intervenções.
O prazo dessa nova concessão terá a duração de 30 anos onde o concessionário terá liberdade para fixar as tarifas aeroportuárias dos diferentes serviços regulados para os passageiros (embarque, conexão, pouso e permanência), desde que a média de arrecadação das tarifas não ultrapasse a receita teto definida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
O bloco Centro-Oeste, formado pelos aeroportos de Cuiabá, Rondonópolis, Sinop e Alta Floresta, em Mato Grosso, recebeu 2 propostas tendo como vencedor o Consórcio Aeroeste, que ofereceu R$ 40 milhões em virtude do forte perfil econômico do estado e principalmente, o crescimento do agronegócio e do turismo.
A decisão de privatizar os aeroportos foi anunciada pelo governo no segundo semestre de 2016.
FONTE: MT ESPORTE

terça-feira, 30 de julho de 2019

Operadora adia lançamento de voos comerciais entre Lucas do Rio Verde e Cuiabá

Operadora adia lançamento de voos comerciais entre Lucas do Rio Verde e Cuiabá
Aeroporto de Lucas do Rio Verde — Foto: Reprodução/TVCA

Os voos comerciais entre Lucas do Rio Verde e Cuiabá, com escala em Sinop, que seriam ofertados a partir desta terça-feira (30) foram adiados. Segundo a empresa prestadora do serviço, o plano foi adiado em razão de questões operacionais.

Ainda segundo a empresa, os voos devem ser lançados a partir do dia 26 de agosto. A proposta é que a rota seja realizada às terças, quartas e quintas-feiras. A previsão é de que a aeronave saia de Cuiabá às 11h50 para chegar em Sinop às 13h.

O retorno seria a partir das 13h20, com chegada em Cuiabá prevista para as 15h25.

A empresa informou ainda que entrou em contato com os passageiros que tinham comprado passagem e deu as opções de receber reembolso de100% do valor da passagem ou deixar a compra em aberto para nova data.

Os passageiros que tiverem dúvidas podem buscar o sistema de informação a operadora.

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Aeroporto internacional: Marechal Rondon está a uma sala da Bolívia

Aeroporto internacional: Marechal Rondon está a uma sala da Bolívia


Há 23 anos, o aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande (Região Metropolitana de Cuiabá-MT), alcançou o posto de “internacional”. Até hoje, entretanto, voos comerciais com destino ao exterior ainda não são realidade. Depois de inúmeras tratativas, o que separa Mato Grosso de seu primeiro destino mundo afora, a Bolívia, seria apenas uma sala.

Membros da bancada federal, governo do Estado e Infraero são unânimes em apontar os dedos para a Receita Federal: o órgão estaria travando a internacionalização do aeroporto.

Deputado federal, José Medeiros (Pode-MT) chegou a cobrar o presidente Jair Bolsonaro (PSL) via twitter. Medeiros, que desde o mandato como senador trata da questão, afirma já ter esgotado “todas as instâncias da Receita Federal”.

“É impossível o Estado se desenvolver com uma âncora puxando pra lá. A grande verdade é que é um descaso e eu vou levar o caso ao presidente da República. Não faz sentido insistir com quem não está comprometido com Mato Grosso”, manifestou o parlamentar ao LIVRE.

Recentemente em Brasília, o senador Jayme Campos (DEM) foi à Casa Civil e à Receita Federal na esperança de que o voo internacional finalmente decolasse do Marechal Rondon.

Enquanto isso, em Cuiabá, a Infraero encara um espaço vazio, que havia sido destinado à alfândega da Receita Federal.

Empecilho

A ideia do governo Silval Barbosa foi aproveitar a Copa do Mundo de 2014 para promover uma grande mudança no aeroporto. Uma reforma foi iniciada em 2012. Orçada em R$ 77,2 milhões, como tantas outras, ela acabou com valores aditados e prazo de conclusão extrapolado. Oficialmente, foi concluída apenas em 2018.

Aproveitando o canteiro de obras, a Infraero pretendia adequar o espaço para atender às exigências da Receita Federal. Por isso, uma relação de requisitos chegou a ser entregue à construtora responsável pela obra, a Engeglobal Construções. No entanto, depois do espaço concluído, as negativas continuaram.

De acordo com José Medeiros, a Receita alega que o espaço destinado à sala não está de acordo com os padrões. O problema estaria na metragem, menor do que o necessário para um terminal aeroportuário considerado de “médio porte”, diante do fluxo de passageiros.

“Isso aí está travado em um manual de procedimentos, de portaria, que não é nada. Não é lei. É simplesmente uma recomendação”, ponderou Medeiros.

Enquanto isso, a companhia Azul Linhas Aéreas já conseguiu liberação, tanto do governo boliviano quanto do Brasil, para operar entre os dois países.

“A Azul reforça o desejo de operar a rota Cuiabá-Santa Cruz de La Sierra, mas continua aguardando a internacionalização do aeroporto de Cuiabá, que está sendo avaliada pela Receita Federal”, respondeu ao LIVRE, via assessoria.

Mas, de acordo com a Infraero, apenas no período entre junho e julho de 2014, o marechal Rondon operou pousos e decolagens para países vizinhos como Chile, Argentina, Peru, Colômbia e a própria Bolívia. Passada a Copa do Mundo, o aeroporto voltou a se limitar a voos nacionais.

Leilão

Em março, o Marechal Rondon foi um dos 12 terminais leiloados para concessão com a iniciativa privada. Com um lance de R$ 40 milhões, o Consórcio Aeroeste, formado pelas empresas Socicam e Sinart, arrematou este e outros três aeroportos em Mato Grosso.

Ao LIVRE, a assessoria do consórcio informou que, desde a homologação do leilão, em maio, faz pré-transição das gestões. Garantiu ainda que vai cumprir os calendários estipulados em edital e que fará diversas reuniões de alinhamento.

Questionada se tem previsão de reestruturar o espaço da Receita Federal, para que a internacionalização do aeroporto saia do papel, informou: “Todos os aeroportos do bloco centro-oeste passarão por melhorias, com investimentos para aumentar a qualidade dos serviços oferecidos aos passageiros e funcionários”.

Por sua vez, a Receita Federal informou ao LIVRE que “continua a envidar todos os esforços para que o Alfandegamento do Aeroporto Marechal Rondon ocorra o mais brevemente possível”.

Em nota, disseram ainda que trabalham com a expectativa de que, tão logo a concessionária Aeroeste assuma a administração do aeroporto, “implemente as adequações estruturais legais necessárias, que permitam o alfandegamento de passageiros no Aeroporto Mal Rondon, em conformidade as normas que regem a matéria, garantindo segurança, agilidade e privacidade aos passageiros”.

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Infraero finaliza projeto do aeroporto de Cáceres

Infraero finaliza projeto do aeroporto de Cáceres

O projeto do aeroporto de Cáceres foi finalizado pela INFRAERO nestes últimos dias e agora será entregue para a SAC (Secretaria de Aviação Civil) para ser autorizado o início das obras para a reforma devida.
Para o prefeito Francis a reforma do aeroporto e vital para melhorar a infraestrutura no turismo e no desenvolvimento da nossa cidade, “Graças a Deus após muito trabalho esse projeto foi finalizado e já está na SINFRA com o Secretário Marcelo Padeiro, e conversei com o governador Mauro Mendes e iremos juntos para Brasília entregar o projeto em mãos na SAC ( Secretaria de Aviação Civil), para que possa liberar os recursos que já esta destinado a reforma desde o ano passado”, afirma o prefeito.

segunda-feira, 15 de julho de 2019

LATAM inicia venda de passagens do novo voo entre Cuiabá e Guarulhos

LATAM inicia venda de passagens do novo voo entre Cuiabá e Guarulhos
Companhia Latam lança nova rota Cuiabá-Guarulhos

A Companhia LATAM acaba de iniciar as vendas de bilhetes para a sua mais nova rota doméstica. Em 27 de outubro deste ano, serão inauguradas 2 frequências diárias entre Cuiabá (MT) e São Paulo/Guarulhos.

Atualmente, no Mato Grosso, a empresa já opera regularmente as rotas Cuiabá-Brasília e Cuiabá-Congonhas, de acordo com comunicado.

Todos os novos voos serão operados por aeronaves Airbus A320, que acomodam 174 passageiros em classe Economy.

"Os dois voos diários vão assegurar o acesso do Mato Grosso à rede de voos domésticos e internacionais que a companhia conecta a partir do seu hub (centro de conexões) de Guarulhos".

FONTE: METRO JORNAL

Aeroporto de Cuiabá registra alta de 6,3% na movimentação de cargas

Aeroporto de Cuiabá registra alta de 6,3% na movimentação de cargas


O Terminal de Logística de Carga (Teca) do Aeroporto Internacional de Cuiabá/Marechal Rondon (MT) registrou alta de 28,3% na movimentação de carga no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2018. Foram movimentadas 33,6 toneladas (t) em produtos, enquanto que nos seis primeiros meses do ano passado foram 26,2 t. 

O destaque ficou por conta do setor de importações, com 33,3t. Os principais volumes importados a partir do Teca cuiabano em 2019 foram aeronaves, equipamentos agrícolas e peças industriais. A maior parte desse material foi recebida de países como Estados Unidos, China e Alemanha.

O superintendente do aeroporto, Laelson Augusto do Nascimento, atribui os números positivos a fatores como os investimentos do setor do agronegócio em máquinas e equipamentos, implantação de agroindústrias e a perspectivas da melhoria da economia do país.

A Infraero, além da gestão e operação de Terminais de Logística de Carga, vem atuando em consultoria, serviços e diagnóstico logístico com o objetivo de proporcionar melhores soluções aos mais diversos segmentos e regiões do Brasil. Governos estaduais, municipais e distrital, além de entidades representativas da indústria e comércio são algumas das entidades que vem buscando realizar parcerias com a estatal na busca de maior eficiência logística para suas empresas e afiliadas.

FONTE: MIDIA NEWS

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Aeronave atinge caminhão de combustível no Aeroporto de Cuiabá

Aeronave atinge caminhão de combustível no Aeroporto de Cuiabá


Uma aeronave de pequeno porte colidiu em um caminhão de combustível no Aeroporto Internacional Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá), no fim da manhã da última quarta-feira (03). Não houve feridos na ocorrência e nem problemas maiores causados pelo acidente.

Segundo a assessoria de imprensa da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), por volta das 10h55, durante o taxiamento para decolagem da aeronave PT-WTU, modelo King-AIR – C90B, houve colisão com um caminhão da BR Aviation.

O caminhão estava no pátio do hangar da TAVAG Aviation, no Aeroporto de Cuiabá, aguardando para abastecer outra aeronave. Ninguém se feriu.

“Tão logo houve o incidente, equipes de Operações e Segurança da Infraero prestaram os primeiros atendimentos e, imediatamente, registraram-no junto ao 6º Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA 6), que é o responsável pela investigação de acidentes e incidentes aeronáuticos”, finaliza a nota.

As operações do Aeroporto de Cuiabá não foram impactadas.

FONTE: Cenário MT

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Gol reafirma operação em Sinop e voo para Guarulhos inicia em novembro

Gol reafirma operação em Sinop e voo para Guarulhos inicia em novembro
Gol reafirma operação em Sinop e voo para Guarulhos inicia em novembro
A prefeita de Sinop, Rosana Martinelli, recebeu, na tarde dessa quarta-feira, 03/07, a confirmação da Gol Linhas Aéreas de que o início das operações da rota Sinop-Guarulhos (SP), voo direto, está mantido para a data de 04 de novembro, conforme programação da empresa. A gestora recebeu, no Paço Municipal, uma das técnicas da equipe de projetos e obras da companhia para uma reunião de trabalho. Participaram do encontro o secretário de Planejamento, Finança e Orçamento, Astério Gomes, o administrador do aeroporto, Frederico Bernardo, e o Procurador Ivan Scheneider.
Essa foi a primeira visita oficial de representantes da Gol Linhas Aéreas desde que Sinop foi inserida aos planos de expansão do grupo. "Receber essa confirmação de que a empresa iniciará, na data programada, a rota Sinop a Guarulhos é uma excelente notícia, pois reafirmamos a condição de Sinop como uma cidade polo e prestadora de serviços. Esse voo não atenderá somente nossos munícipes, mas também aqueles de outras cidades da região e que precisam se deslocar para o Estado de São Paulo, acessando-o por meio do aeroporto de Guarulhos", comemorou Rosana Martinelli.

Durante agenda realizada em Sinop, a técnica da empresa também visitou o Aeroporto Municipal João Baptista Figueiredo, onde conferiu e avaliou os espaços aptos à montagem da 'base' sinopense (áreas de atendimento, guichê, sala e demais). 

Ao ligar a capital do Nortão à cidade de Guarulhos (SP), será possível ao usuário do transporte aéreo ligar-se para diversas outras localidades do Brasil e exterior. Os voos com origem de Sinop já constam no sistema de vendas, com passagens variando entre R$ 364 a R$ 519,35 (data de 04 de novembro). A operação será diária, de segunda a segunda.

"Essa é a segunda boa notícia que podemos dar para nossa cidade, em se tratando do início e operação de novas rotas aéreas. No dia 03 de junho, a Azul Linhas Aéreas também iniciou a operação do trecho Sinop a Campinas, conectando os aeroportos João Baptista Figueiredo a Viracopos. Isso mostra o empenho da gestão em ampliar o potencial de Sinop e torná-la um centro de referência”.

Desde que assumiu a Prefeitura de Sinop, Martinelli determinou às secretarias municipais o empenho na busca de melhorias para o aeroporto. “Fizemos ampliação da pista, ampliação do terminal de passageiros, compramos veículos seguindo orientação da Anac e vários outros investimentos. Todo um trabalho feito em parceria com as entidades, porque entendemos que o aeroporto é uma das portas de entrada do município”, celebrou a gestora.

Atualmente, a Azul é a única companhia operando em Sinop. Ela realiza o voos entre Sinop a Cuiabá e Sinop a Viracopos (SP).

Rondonópolis tem sido alternativa para aeroporto de Cuiabá

Rondonópolis tem sido alternativa para aeroporto de Cuiabá
None

Essa semana o Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco mais uma vez serviu como base alternativa para pousos que seriam feitos em Cuiabá. Por conta do mau tempo, o Aeroporto Internacional Marechal Rondon ficou sem teto e voo da Azul Linhas Aéreas, operado pela aeronave modelo ATR-72 teve que ser redirecionado para fazer o pouso em Rondonópolis.

O ‘céu de brigadeiro’ como é dito na linguagem da aeronáutica que se apresentava no momento em Rondonópolis deu condições perfeitas para que o pouso fosse feito com segurança. O voo que tinha como destino final a capital Cuiabá estava cheio e os passageiros tiveram de ser transportados via terrestre.

A gerente do departamento de aeroportuária do município, Bianca Cristina Araldi, que é responsável pelo aeroporto de Rondonópolis comentou que a unidade está operando com todos os equipamentos de segurança exigidos pela Anac, por isso tem condições de ser alternativa para pousos.

Outro caso que aconteceu recentemente no aeroporto municipal de Rondonópolis foi o pouso de emergência de uma UTI aérea neonatal que tinha saído de Vilhena e teve um dos pneus furado durante a decolagem. Bianca Araldi relatou que a equipe do município realizou todo o protocolo para receber a aeronave, inclusive contou com apoio do Samu e também do Corpo de Bombeiros local, que possibilitou o pouso feito com segurança.

terça-feira, 2 de julho de 2019

Infraero elaborará projetos de adequações do aeroporto de Sorriso

Infraero elaborará projetos de adequações do aeroporto de Sorriso


A prefeitura de Sorriso contratou a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) para elaborar os projetos de revitalização, recuperação e sinalização horizontal da pista de pouso e decolagem, pátio de aeronaves e taxiway do aeroporto municipal Adolino Bedin. O contrato foi firmado por meio de dispensa de licitação no valor de R$ 364 mil.

Em maio deste ano, a companhia aérea que atua no aeroporto de Sorriso chegou a suspender todos os voos comerciais para Cuiabá até que a revitalização da pista fosse feita. Porém, na semana passada, anunciou a retomada com aeronaves ATR 72, menores que os aviões jatos utilizados anteriormente.

Os voos com aviões maiores serão retomados a partir do dia 4 de agosto, no entanto, não serão mais diários. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Drusina, como foi necessário um remanejamento de aeronaves, a rota Sorriso/Cuiabá será realizada quatro vezes na semana inicialmente. “Devido a essa adequação não serão mais seis voos semanais. Contudo, acreditamos que isso também será ajustado com o início das operações”, explica.

Drusina informou ainda que o voo sofreu uma alteração no horário. Segundo consta no site da companhia aérea, no dia 5 de agosto por exemplo, a aeronave sairá de Sorriso às 10h20 com chegada em Cuiabá prevista para as 11h10, nos dias 6, 7 e 8, o voo tem saída às 7h15 e chegada prevista para 8h10. Já o retorno no dia 5 de agosto tem saída prevista de Cuiabá para as 22h55 e chegada em Sorriso às 23h50.

Anteriormente o secretário já havia informado que vão ser investidos “R$ 6 milhões se a reforma da pista que tem 1,1 quilômetros, for feita de uma forma ‘caseira’ e R$ 15 milhões, se for feita com toda a drenagem com laudos estruturais e tudo mais”. A prefeitura de Sorriso espera que o governo estadual repasse R$ 4 milhões de um convênio para as obras.

O prazo para a Infraero elaborar os projetos é de seis meses.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: Só Notícias/arquivo)

sexta-feira, 28 de junho de 2019

Com promessa de recapeamento da pista, Azul decide voltar a ter voos em Sorriso

Com promessa de recapeamento da pista, Azul decide voltar a ter voos em Sorriso
aeroporto de sorriso

epois de pouco mais de um mês após suspender os vôos com destino e origem no aeroporto de Sorriso, Adolino Bedin (a 396 km de Cuiabá), a Azul Linhas Aéreas voltará o operar voos na cidade a partir de 4 de agosto. A solução encontrada pela empresa foi utilizar aeronaves modelo ATR 72 600, que são menores que os jatos que eram usados antes. Em nota, a empresa explicou que a retomada das vendas para voos na cidade se deu em função do recapeamento asfáltico prometido pela prefeitura.

Os voos tinham sido interrompidos em razão de problemas com a segurança da pista, e a empresa estabeleceu que só retomará os voos de fato, assim que a prefeitura realizar o recapeamento. “A Azul reforça o compromisso de atender seus clientes com excelência, por meio de um serviço de qualidade, eficiência, presteza e, principalmente, segurança – que é seu primeiro valor. A empresa reforça que não tem o interesse em cancelar definitivamente seus voos na cidade, mas espera a finalização dos ajustes necessários para retomar a completa operação em Sorriso”, pontua.

O anúncio foi feito na manhã desta sexta (28), durante coletiva de imprensa concedida pelo prefeito Ari Lafin (PSDB) e pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Drusina. “Paralelo a isso vamos continuar com nosso trabalho em Brasília na busca pela liberação de recursos para as adequações necessárias que possibilitem o retorno às operações do jato. Também vamos fechar um contrato com a Infraero para que ela nos aponte quais são as adequações necessárias nesse momento”, salienta.

Para reformar a pista e adequá-la aos padrões exigidos pela companhia área para operacionalizar com aeronaves maiores, a prefeitura precisará de R$ 15 milhões. O valor deve ser passado pelo Governo Federal, por meio da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac).

“Poder anunciar o retorno dos voos comerciais é motivo de comemoração para todos nós. Sabemos o quanto a logística do município e da região está atrelada à resposta rápida em todos os setores, seja comercial ou de lazer, por isso nos empenhamos na busca pelo retorno das operações do nosso Aeroporto Regional”, comemora Lafin.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Drusina, explica que devido a adequação, a Azul não realizará mais seis voos semanais e passará a quatro, com capacidade para 70 passageiros. Antes cada vôo comportava 130 passageiros. “Contudo, acreditamos que isso também será ajustado com o início das operações” (Com Assessoria).

quinta-feira, 27 de junho de 2019

Azul volta a operar voos comerciais no Aeroporto de Sorriso (MT) após suspensão por falhas na pista de pouso

Azul volta a operar voos comerciais no Aeroporto de Sorriso (MT) após suspensão por falhas na pista de pouso
Aeroporto de Sorriso, a 420 km de Cuiabá — Foto: Andre Romeu/Secom-MT
Aeroporto de Sorriso, a 420 km de Cuiabá — Foto: Andre Romeu/Secom-MT


A Azul Linhas Aéreas deverá voltar a operar com voos comerciais em Sorriso a partir do dia 4 de agosto. O anúncio foi feito nesta manhã (27) pelo prefeito Ari Lafin.

A companhia havia anunciado, no dia 23 de maio, a suspensão das operações em Sorriso em função das condições da pista do terminal.

Em nota à imprensa, a empresa afirmou que a pista utilizada para pousos e decolagens sofreu degradações nos últimos anos e não atendia aos padrões operacionais e de segurança da Azul.

A retomada dos voos se dará com o uso de aeronaves modelo ATR 72 600, menores do que os jatos que vinham sendo utilizados anteriormente. De acordo com Lafin, como o ATR 72 é menor, a pista comporta sem problemas.

A prefeitura ainda tenta a liberação de recursos para as adequações necessárias que possibilitem o retorno às operações do jato. Um contrato também será fechado com a Infraero para que sejam feitas as adequações necessárias.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Drusina, como foi necessário um remanejamento de aeronaves para atender Sorriso, a rota Sorriso/Cuiabá será realizada quatro vezes na semana inicialmente.

Dessa forma, não serão mais seis voos semanais. O voo sofreu uma alteração no horário. Segundo consta no site da Azul, no dia 5 de agosto por exemplo, a aeronave sairá de Sorriso às 10h20 com chegada em Cuiabá prevista para as 11h10, nos dias 6, 7 e 8, o voo tem saída às 7h15 e chegada prevista para 8h10.

Já o retorno no dia 5 de agosto tem saída prevista de Cuiabá para as 22h55 e chegada em Sorriso às 23h50. As passagens e horários já podem ser consultadas no site da empresa.

FONTE: G1 MT

terça-feira, 25 de junho de 2019

Lucas do Rio Verde passa a ter voos para Cuiabá a partir de julho

Lucas do Rio Verde passa a ter voos para Cuiabá a partir de julho


Uma empresa regional passa, a partir de 30 de julho, operar com voos comerciais de Lucas do Rio Verde a Cuiabá-Várzea Grande. Inicialmente serão três voos semanais, as terças, quartas e quinta-feiras, decolando de Lucas às 17h10. Do aeroporto Marechal Rondon vai decolar às 15h50. Na consulta feita, hoje, no site da empresa é anunciada a nova rota mas o valor da tarifa não é informado.

O prefeito de Lucas do Rio Verde, Luiz Binotti e equipe articularam, nos últimos meses, a implantação da linha aérea. O secretário interino de Desenvolvimento Econômico e diretor de Desenvolvimento Sustentável, Zeca Picolo, explicou que a rota proporciona agilidade no deslocamento até a capital.

“É uma boa notícia para a população de Lucas do Rio Verde, pois com esta linha aérea fica mais fácil ir até Cuiabá, além de ser um meio de transporte mais seguro, visto que a BR-163, até que seja duplicada, continua sendo uma rodovia de alto risco, onde temos diariamente vários acidentes. Outra vantagem será a redução de gastos com combustível e manutenção dos veículos. Ter mais esta opção de acesso à cidade também auxilia no desenvolvimento econômico do município, pois facilita a vinda de investidores para conhecer a região”, disse, através da assessoria.

A empresa é sediada em Cuiabá, opera com aeronaves modelo Grand Caravan com capacidade para 9 passageiros e 2 tripulantes e também opera nos municípios de Rondonópolis, Juara, Juína, Canarana e Água Boa, dentre outras.



Só Notícias (foto: Só Notícias/arquivo)

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Contrato de concessão de aeroporto de Sinop deve ser assinado em setembro

Contrato de concessão de aeroporto de Sinop deve ser assinado em setembro


Governo Federal e as empresas/consórcios vencedores do Leilão nº 1/2018, referente à concessão de 12 aeroportos brasileiros, distribuídos entre os blocos Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, devem assinar no dia 02 de setembro os contratos de concessão. A previsão é da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e consta em decisão número 71, que homologou o resultado do processo licitatório.

No Estado de Mato Grosso, que formou o bloco Centro-Oeste, estarão sob responsabilidade do Consórcio Aeroeste, constituído pelas empresas Socicam Terminais Rodoviários e Representações Ltda. e Sinart - Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico Ltda-., os aeroportos de Cuiabá (Várzea Grande), Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta. O assunto concessão dos aeroportos foi tema de uma reunião, recentemente, entre o secretário de Planejamento, Finanças e Orçamento de Sinop, Astério Gomes, e representantes da Secretaria de Aviação Civil, em Brasília (DF).

“Precisávamos saber como estava a andamento para assinatura desse contrato [de concessão], uma vez que o governo [municipal] e a cidade precisam saber. O contrato deve ser assinado no dia 02 de setembro, como nos disseram o Dr. Guilherme e o Dr. Neto, da secretaria de aviação civil”, expressou Astério Gomes.

Conforme informado pelo Governo Federal, o cronograma de eventos referentes ao Leilão vem seguindo a programação estabelecida. No último dia 24 de maio, a Anac publicou a homologação do resultado do Leilão. Agora, no calendário de trabalho, a data de 25 de julho corresponde ao prazo final para comprovação de atendimento, pela proponente vencedora, das obrigações previstas em edital. Posteriormente, em 02 de setembro, será realizada a convocação do adjudicatário para celebração do contrato de concessão do respectivo bloco de aeroportos.

Para o aeroporto de Sinop, o Governo Federal estima investimentos na faixa de R$ 85 milhões, nos primeiros três anos de gestão. “O bloco Centro-Oeste foi o que teve maior ágio. Isso demonstra o potencial da nossa região. Em nossa gestão, investimos muito no aeroporto, porque entendemos que ele é um vetor de crescimento e ter agora esse consórcio com essa previsão de investimento é muito positivo não apenas para Sinop, mas para todo o norte de Mato Grosso”, explica a prefeita Rosana Martinelli.

Conforme lembram Rosana Martinelli e Astério Gomes, embora a assinatura do contrato de concessão seja celebrada no segundo semestre do ano, a Prefeitura de Sinop continuará “fazendo a lição de casa” no que diz respeito ao Aeroporto João Baptista Figueiredo. “Isso em relação a algumas exigências da Anac”, salientou o secretário de Finanças.

INVESTIMENTOS ANTES MESMO DE LEILÃO

Desde que assumiu a gestão da Prefeitura de Sinop, Martinelli determinou às secretarias o empenho na busca de melhorias para o aeroporto. Isso antes mesmo de o leilão ter sido programado pelo Governo Federal. O município executou ampliação da pista, de terminal de passageiros, adquiriu veículos, seguindo orientação da Anac, entre vários outros pontos. Uma das ações visava assegurar a certificação para operar por meio de instrumentos e não mais manual.

Recentemente, o município comemorou o início de operação de mais uma rota do transporte de passageiros, essa ligando Sinop à cidade de Campinas (SP), pela Azul. “Todo um trabalho foi feito em parceria com as entidades, porque entendemos que o aeroporto é uma das portas de entrada do município”, salientou a Rosana Martinelli salientando ainda que, apenas em 2018, quase 130 mil embarques/desembarques de passageiros foram registrados.

sábado, 8 de junho de 2019

Nova rota aérea liga Rondonópolis a Cuiabá via Primavera do Leste

Nova rota aérea liga Rondonópolis a Cuiabá via Primavera do Leste
Resultado de imagem para asta linhas aéreas

A partir de hoje (03) a Asta Aviação empresa mato-grossense especializada em transporte aéreo, focada no agronegócio, passa a operar nova linha Cuiabá-Rondonópolis com voos diários de segunda a sexta.

Serão mais de dez voos semanais, cada trecho é percorrido em aproximadamente 40 minutos. Até então, as cidades não possuíam linhas aéreas que as interligasse e a única opção de trajeto eram as rodovias do Estado, com média de 220 quilômetros percorridos em cerca de três horas.


Segundo o Diretor Executivo (CEO) da Asta, Adalberto Bogsan, uma das preocupações da empresa é atender os usuários que precisam se deslocar pelo interior do Estado para viagens de negócios, a maioria delas motivadas pelo agronegócio. “Temos uma alta penetração no mercado do Mato Grosso, com boa reputação entre nossos clientes”, diz o CEO. “A segurança, qualidade de atendimento e compromisso com os horários são nossa marca registrada. ”


Já para o Diretor comercial da Asta Fabiano Oliveira, “Hoje existe uma demanda reprimida de 40 passageiros dia (na região) conforme estudo realizado previamente com destino a Cuiabá, a gente imagina que conseguimos atender de 20 a 30% dessa demanda. Na segunda e na sexta-feira, onde as demandas são mais intensas, estamos disponibilizando dois voos diários, esclarece o diretor.

Rondonópolis é a décima primeira cidade atendida pela Asta Aviação a partir da capital mato-grossense. A companhia possui aeronaves turboélice monomotores, o que possibilita a aterrissagem em vários tipos de pistas. Cada equipamento tem capacidade para nove passageiros e está equipada com tecnologia de ponta para a navegação aérea.

Veja as opções de voos e horários entre as cidades:

Nova Linha Asta – Cuiabá/Rondonópolis
DiaRotaHorário
Segunda-feiraCuiabá – Rondonópolis06:00
Rondonópolis – Cuiabá07:05
Cuiabá – Rondonópolis15:30
Terça-feiraRondonópolis – Cuiabá07:00
Cuiabá – Rondonópolis15:30
Quarta-feiraRondonópolis – Cuiabá07:00
Quinta-feiraCuiabá – Rondonópolis15:30
Sexta-feiraRondonópolis – Cuiabá07:00
Cuiabá – Rondonópolis16:05
Rondonópolis – Cuiabá17:55

Cidades atendidas pela ASTA
Hoje a Asta Aviação atende 11 cidades do estado de Mato Grosso, são elas; Aripuanã, Juara, Juína, Cuiabá, Rondonópolis, Tangará da Serra, Canarana, Água Boa, Sapezal, Campo Novo do Parecis e Primavera do Leste.
Novas Rotas

Para melhor atender o Estado está previsto para o mês de julho a expansão no atendimento, incluindo os municípios de Lucas do Rio Verde, Nova Mutum e Pontes e Lacerda, com o objetivo de atender todas as demandas da região.


Futuro
Pensando em melhorias para os clientes sul mato-grossense, no primeiro trimestre de 2020 a ASTA Aviação estará lançando uma nova aeronave de produção Canadense e a primeira a operar no Brasil,modelo Lontra Twin DHC-6 com capacidade para transportar até 19 passageiros.
Twin Otter DHC-6 é uma aeronave de motor bimotor de alta velocidade, sem pressurização, com engrenagem de terra fixa triciclo. Projetado como um comutador de pouso e aterrissagem curta, a aeronave é capaz de transportar passageiros e carga em locais remotos, incluindo operações com esqui e água.

Asta Aviação
A ASTA é uma empresa genuinamente mato-grossense. Desde 1995, presta serviços de transporte de cargas e passageiros no Estado. A história do grupo teve início em 1995, quando iniciou suas atividades, com duas aeronaves modelo Sêneca e capacidade para cinco passageiros cada.

Hoje, a companhia conta com três aeronaves monomotor, o que a habilita a operar em qualquer pista disponível no país, atendendo regiões inviáveis para aeronaves de maior porte. Sua categoria de operação é a RBAC 135 – Linha Complementar e charter.


FONTE: MinutoMT com Assessoria

sexta-feira, 7 de junho de 2019

PREFEITO RAFAEL MACHADO ASSINA ESCRITURA PARA NOVO AEROPORTO EM CAMPO NOVO

PREFEITO RAFAEL MACHADO ASSINA ESCRITURA PARA NOVO AEROPORTO EM CAMPO NOVO
O prefeito Rafael Machado, juntamente com representantes da Fazenda Água Azul, assinaram o documento de escrituração da área para o novo aeroporto de Campo Novo do Parecis. A assinatura firma a parceria público/privada com a intenção de melhorar o transporte aéreo do município.

Como é de conhecimento público, o antigo aeroporto, no fim do bairro Jardim das Palmeiras, foi desativado. O novo local fica na saída da cidade, sentido Tangará da Serra, pela BR-364. As obras de construção da pista já começaram. O término da obra não foi informado, mas deverá comportar voos regionais.

A oficialização da documentação ocorreu em um cartório do município.

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Companhia fará vistoria em pista de aeroporto e pode voltar a operar voo em Sorriso

Companhia fará vistoria em pista de aeroporto e pode voltar a operar voo em Sorriso
Companhia fará vistoria em pista de aeroporto e pode voltar a operar voo em Sorriso

Representantes da Azul Linhas Aéreas estão em Sorriso em reunião com o secretário de desenvolvimento econômico Claudio Druzina, e devem fazer uma avaliação na pista do Aeroporto Municipal Adolino Bedin para voltar a operar voos na cidade em aeronave comercial bimotor pressurizada de médio porte e propulsão turboélice (ATR).


A pista tem mais de 1,1 quilômetros. O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Drusina informou, anteriormente, que a empresa justificou que se continuasse operando com jato nas atuais condições da pista haveria problemas. Ele disse que a empresa cobra a revitalização total da pista para voltar a operar.

Ainda segundo o secretário, para revitalizar a pista “vão ser R$ 6 milhões sendo feita de uma forma caseira e R$ 15 milhões se for feita com toda a drenagem com laudos estruturais e tudo mais”. A prefeitura de Sorriso espera que o governo estadual repasse R$ 4 milhões de um convênio para usar na recuperação da pista.

A empresa que operava voos diários em Sorriso, suspendeu as operações por tempo indeterminado. Conforme Só Notícias já informou, após a suspensão em Sorriso, a empresa começou a operar voo extra de Cuiabá para Sinop com retorno no mesmo dia para capital do Estado. Segundo a empresa, o pouso está previsto para às 9h40 e decolagem para Cuiabá às 10h10. Atualmente Sinop possui três voos diários para Cuiabá, sendo dois jatos e um ATR, durante a semana. Aos finais de semana são operados dois voos.

Em março deste ano o aeroporto de Sinop foi um dos 12 do país arrematado em um leilão realizado pelo Governo Federal. O consórcio Aeroeste foi o vencedor do bloco Centro-oeste, que inclui também os aeroportos de Alta Floresta, Rondonópolis e Várzea Grande (Cuiabá). Para o aeroporto João Batista Figueiredo, o governo federal estima investimentos na faixa de R$ 85 milhões.

terça-feira, 4 de junho de 2019

Companhia aérea retoma voos de Sinop a São Paulo

Companhia aérea retoma voos de Sinop a São Paulo


A empresa aérea retomou, ontem, o voo diário do aeroporto João Figueiredo para o internacional de Viracopos, em Campinas (SP). Serão cinco voos semanais de segunda a sexta com aeronaves com capacidade de transportar até 118 passageiros. A rota ganhou uma sexta frequência semanal no último domingo. Com isso, houve a alteração na malha que entrou em vigor a base de Sinop.

O avião decola de Campinas às 13h30 e chega em Sinop às 15h. O retorno ocorre às 15h40 com chegada em Campinas às 19h10. Essa rota já existia, mas a companhia pediu cancelamento em abril de 2016. Atualmente, a mesma empresa já opera em Sinop com três voos diários para Cuiabá com conexões para demais localidades.

Em março, o diretor de planejamento de malha da mesma companhia aérea, Daniel Tkacz confirmou, ao Só Notícias, que está sendo estudada a viabilidade de retomar voos noturnos diários no aeroporto de Sinop.

Ele explicou que ainda não há previsão para que isso ocorra, mas adiantou que é aguardada a conclusão do processo de homologação dos equipamentos por parte da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para definir as próximas etapas do projeto.

Só Notícias/Cleber Romero (foto: Fernanda Tozetto Lando)

Socicam e Infraero iniciam transição da gestão de aeroportos do bloco Centro-Oeste

 Socicam e Infraero iniciam transição da gestão de aeroportos do bloco Centro-Oeste
Foto: DroneCuiabá

Vencedora do leilão do bloco Centro-Oeste de aeroportos brasileiros, realizado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) em 15 de março, a Socicam agora se prepara para iniciar a gestão dos terminais de Cuiabá, Rondonópolis, Sinop e Alta Floresta. No mês de maio, Marcelo Bisordi e Cláudio Gomes e Marco Migliorini, diretores da Socicam Aeroportos, tiveram a primeira reunião de alinhamento com a presidente da Infraero, Martha Seiller, para tratar da transição na administração dos terminais.

Durante o encontro com o órgão governamental, realizado em Cuiabá (MT), Bisordi apresentou a Socicam e Migliorini falou sobre as expectativas da empresa para a região. A Socicam, como empresa líder do Consórcio, assumirá o controle dos aeroportos do bloco Centro-Oeste no segundo semestre de 2019 e trabalhará lado a lado com a Infraero no período de transição.

“Foi um encontro muito positivo. A Infraero vem realizando um grande trabalho no Centro-Oeste, com uma equipe muito comprometida. Esses aeroportos são cruciais para o impulsionamento dos negócios e do desenvolvimento sustentável no Centro-Oeste, e estamos preparados para iniciar nossas operações na região”, diz Marcelo Bisordi, diretor da Socicam Aeroportos.

Com a inclusão do bloco Centro-Oeste às suas operações, a Socicam passa a ser a concessionária brasileira com o maior número de terminais aeroviários no país, com 14 aeroportos sob sua gestão. Localizado na região metropolitana de Cuiabá, o aeroporto internacional Marechal Rondon é o principal ativo do bloco, com capacidade para receber até 5,7 milhões de passageiros por ano. O contrato a ser firmado pela nova Concessionária para a gestão dos quatro aeroportos terá duração de 30 anos.

FONTE: SOCICAM

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Receita Federal ‘empaca’ internacionalização do aeroporto de Cuiabá e pede área equivalente a 'dois apartamentos'

Receita Federal ‘empaca’ internacionalização do aeroporto de Cuiabá e pede área equivalente a 'dois apartamentos'
Receita Federal ‘empaca’ internacionalização do aeroporto de Cuiabá e pede área equivalente a 'dois apartamentos'
Os empresários do ramo de turismo e a própria Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) já escolheram o vilão da novela envolvendo a internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá). A Receita Federal é apontada como a ‘pedra no sapato’ nesta questão, segundo o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares, Luiz Carlos Nigro. A Azul Linhas Aéreas continua a pagar funcionários na Bolívia e aguarda uma resolução sobre o tema.
“O governador Mauro Mendes (DEM) tem se empenhado, participamos de duas reuniões com a equipe dele. Porém, estamos esbarrados na Receita Federal, que não quer a internacionalização. Esta é a realidade. Não podemos ficar reféns de um órgão público que o principal objetivo é atender as demandas da sociedade”, disse ao Olhar Direto Luiz Carlos Nigro, que também batalhou – durante a gestão do ex-governador Pedro Taques (PSDB) – para destravar o voo.
 
Ainda conforme Nigro, todos estão reféns da Receita Federal sempre teria atrapalhado o desenvolvimento do turismo internacional. “Todas as vezes, tentativas, foram eles a pedra no nosso sapato. Não podemos ficar refém disto. A Receita Federal pediu que colocasse diversos itens, até grade no teto e tudo foi instalado. Terminou a lista, eles foram e pediram mais coisas. Este projeto foi construído há sete mãos, na época da reforma do aeroporto, quando todos os órgãos participaram”.
 
A situação sobre a Receita Federal também é confirmada pelo superintendente da Infraero em Cuiabá, Laelson Augusto do Nascimento. Ele resumiu ao Olhar Direto que quatro dos três órgãos necessários já deram o aval para a internacionalização do aeroporto de Cuiabá.
 
“O processo está na Receita Federal. Eles acompanharam a construção das salas e cooperaram até no layout. Para nossa surpresa, quando conseguimos todo o restante, pediram mais área. Querem mais 130 m², isso dá dois apartamentos. Para fazer isto, gastaríamos R$ 800 mil. É algo que a Infraero não fará, até porque o aeroporto está em processo de concessão”, pontuou o superintendente.
 
O superintendente ainda comenta que “operacionalmente, é uma área muito mais do que suficiente, serão dois servidores apenas trabalhando. Além disto, são dois ou três voos por semana o previsto no início. Não dá para entender”.
 
A frustração também é seguida pelo presidente do Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de Mato Grosso (Sindetur), Omar Canavarros Junior. “A Azul já fez toda a parte dela, tem o espaço todo montado. A Receita Federal, por questões milimétricas, está atrasando tudo. Este voo irá Iria movimentar toda uma cadeia comercial no Estado. A companhia está quase cancelando a intenção de voar por conta desta burocracia. É uma pena, porque irá beneficiar não só o turismo, mas o comércio como um todo”.
 
Nigro ainda afirma que a Receita Federal precisaria ser responsabilizada pelos atrasos. “Tem equipamento de raio-x de mais de R$ 1 milhão que está lá parado. Quem vai arcar com este prejuízo gigantesco? Na época da Copa do Mundo funcionou tudo bem, com diversos voos e sem o espaço que temos agora. A Receita Federal não quer atender, a verdade é esta. Vai dar trabalho, terão que ficar lá sábado a noite, segunda”.
 
A superintendente de Desenvolvimento de Modais da Secretaria de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Maksaíla Moura Campos, informou à reportagem que o aeroporto cumpriu várias exigências da Receita Federal. “Foi nos dada uma lista e depois de tudo ter sido cumprido, recebemos mais uma. Hoje, está na mão deles. O governo tem procurado resolver, assim como a Infraero”.

Receita Federal

A Delegacia da Receita Federal do Brasil em Cuiabá informou ao Olhar Direto que intimou  oficialmente a administradora do Aeroporto Mal. Rondon quanto às providências necessárias para as adequações estruturais que permitam o alfandegamento de passageiros no terminal, em  conformidade as normas que regem a matéria . 

"Assim sendo, estamos aguardando tais providências para prosseguimento das ações necessárias por parte da RFB. Reiteremos que o compromisso da nossa instituição é no sentido de contribuir com a melhoria do ambiente de negócios e a competitividade do País, em especial no nosso Estado", finaliza a nota. 

Novela

O governador Mauro Mendes criou uma comissão que irá trabalhar para destravar a internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá). O voo entre a capital mato-grossense e Santa Cruz de La Sierra é mais uma das novelas envolvendo a Copa do Mundo de 2014, já que a ligação entre as duas cidades seria feita aproveitando a ‘onda do Mundial’. Com a elevação do aeródromo para a categoria médio porte, será preciso ampliar o espaço de desembarque de voos advindos de fora do país.

Recentemente, a assessoria de imprensa da Azul Linhas Aéreas disse que a “companhia continua na dependência dos ajustes do aeroporto de Cuiabá para obtermos a aprovação final".

As viagens serão operadas pelas aeronaves modelo Embraer 195, com capacidade para até 118 passageiros e acontecerão, no primeiro momento, às quintas e domingos.
 
Santa Cruz de La Sierra é maior e mais populosa cidade da Bolívia, com 1,7 milhão de habitantes, além de ser a mais importante do Departamento de Santa Cruz. Motor econômico do país, Santa Cruz de La Sierra é um polo petroquímico, com foco na produção e exportação de gás natural. A cidade também é conhecida por sua tradição gastronômica.