terça-feira, 4 de abril de 2017

Tangará: parceria Estado-Município será solução para aeroporto



A parceria entre Estado e município será a alternativa para a viabilização das obras do aeroporto regional de Tangará da Serra. Este é o entendimento do vereador Rogério Silva (PMDB), após o anúncio de cortes no orçamento da União pela equipe econômica do governo federal.
Entre os efeitos dos cortes está a suspensão de aeroportos regionais em todo o país, entre eles o de Tangará da Serra.
Rogério Silva participou de uma reunião na manhã desta quinta-feira (30) no gabinete do Executivo Municipal, com as presenças do prefeito Fábio Martins Junqueira, do secretário municipal de Infraestrutura Selton Vieira, do secretário adjunto de Estado de Logística, Rogério Arias, e da coordenadora de Aeroportos do governo estadual, Maksaila Amaral Moura Campos.
Na oportunidade, o Executivo iniciou entendimentos com os representantes do estado para a celebração de parceria visando a viabilização das obras da unidade aeroportuária local. O acordo entre as duas esferas de governo consiste na desapropriação, pelo município, de áreas particulares no entorno do aeródromo já existente. Ao estado caberá a realização de melhorias na pista, sinalização e balizamento, entre outras obras físicas, incluindo o terminal de embarque e desembarque de passageiros.
A reunião desta quinta serviu como ‘start’ para os estudos visando o início das obras, tanto para o governo como para o município. Rogério Silva comemorou o início das conversações, já que o aeroporto regional é considerado pela comunidade tangaraense como condição básica para a alavancagem do desenvolvimento econômico local. “A solução é esta parceria entre o município e o governo estadual. O aeroporto dará um grande impulso ao desenvolvimento, atraindo investimentos do setor privado e fomentando o turismo”, observou o peemedebista.
As obras chegaram a ser programadas pelo próprio governo federal, ano passado, através do Programa de Aviação Regional (PAR), juntamente com os aeroportos regionais de Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Juara, Rondonópolis, São Félix do Araguaia, Sinop e Vila Rica.
A intenção é prover o aeroporto local de capacidade para pouso e decolagens de aeronaves de médio porte, para até 140 passageiros, com voos regulares para outras regiões do estado e também para estados vizinhos.


0 comentários: