segunda-feira, 14 de março de 2016

Governo de MT conclui projeto para reduzir imposto e aumentar voos comerciais regionais

Foto: Canal Piloto


Está pronto o projeto de lei que cria mecanismos para estimular a aviação regional, sendo o principal deles a desoneração do imposto cobrado sobre o combustível para as aeronaves.
Agora, a Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz) prepara nota técnica para que a proposta possa, em seguida, ser encaminhada à Assembleia Legislativa.
“Pretendemos encaminhar isso o mais rápido possível, porque será um novo marco e que poderá turbinar ou fomentar novos voos regionais em Mato Grosso”, avalia o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Seneri Paludo.
O incentivo previsto pelo governo prevê abatimento de até 84% no imposto incidente sobre a querosene de aviação. Paludo acrescenta que o governo também investe na melhoria de aeroportos municipais, a exemplo de Sorriso, Barra do Garças, Cáceres e Rondonópolis.
“O combustível representa 43% do nosso custo operacional e com a redução do imposto, nosso custo irá diminuir e poderemos ampliar o atendimento”, projeta o diretor superintendente da Asta, Luís Roberto Silva.
Mesmo com os entraves atuais, como a elevação de preço do combustível, a Asta – empresa genuinamente mato-grossense – inaugura novas rotas ainda neste primeiro semestre de 2016, com voos diários para Lucas do Rio Verde e Rondonópolis.
Com isso, a expectativa é elevar o número de passageiros atendidos em 50%, ao passar de uma média mensal de 1 mil para 1,5 mil. A rota que inclui a partir desta segunda-feira (14) o município de Lucas do Rio Verde como destino – há voos regionais atualmente para Juara e Juína com saída de Cuiabá às 8h – prevê tarifas a partir de R$ 599 e que podem alcançar R$ 999. De lá para a Capital, a aeronave modelo Gran Caravan, turbo hélice de 9 lugares, decola às 13h35.
Aeronaves idênticas também atenderão os passageiros com destino a Rondonópolis, a partir do dia 4 de abril, com saídas diárias em voos diretos às 6h e às 18h, com retorno para Capital às 7h35 e novamente às 19h40. As tarifas oscilam de R$ 250 a R$ 380.
“Uma das vantagens é que esse passageiro, se quiser, poderá interligar com as rotas do Norte e da região do Araguaia”, comenta o diretor superintendente.
Sobre a inclusão da região Sul de Mato Grosso nas rotas da Asta, Luís Roberto observa que ela é importante para a empresa e para a população. “É interessante e oferece a opção do empresário ou executivo com negócios em Cuiabá e vice-versa partir de manhã e retornar no final do dia.”

3 comentários:

  1. NOVAMENTE VEJO SORRISO FICANDO FORA DAS ROTAS.... A ASTA, A AZUL, ENTRE OUTRAS COMPANHIAS AÉREAS PODERIAM SOLICITAR VOOS PARA CÁ.......... PRINCIPALMENTE AGORA NESSE FERIADÃO DE PÁSCOA.... EM QUE O TRÂNSITO DE PESSOAS AUMENTAM, OU VÃO DEIXAR PASSAR ESSE FERIADÃO, PARA RECLAMAREM QUE AS PESSOAS NÃO ESTÃO VIAJANDO???? E DIZER QUE VÃO CANCELAR VOOS POR FALTA DE PASSAGEIROS......... POR FAVOR CGB ONLINE CONVERSEM COM ALGUM REPRESENTANTE DE ALGUMA COMPANHIA AÉREA, MOSTREM REPORTAGEM SOBRE O AEROPORTO DE SORRISO, SERÁ DE GRANDE AJUDA, POIS AS NOSSAS AUTORIDADES ESTÃO ACOMODADAS, E MOSTRAR QUE A POPULAÇÃO DE SORRISO TEM INTERESSES EM RECEBER VOOS DAS COMPANHIAS AÉREAS.....

    ResponderExcluir
  2. Tem que trazer voo é pra Barra do Garças, cidade com potencial de turismo e as Faculdades e Universidade UFMT. As faculdades precisando demais de voo na cidade para convidar especialistas para palestras e estes não vêm por causa da distância e vir de ônibus para a cidade demora em média de 6 a 8 horas, tanto vindo de Goiânia (capital mais próxima da cidade de Barra do Garças), quanto de Cuiabá (530 km daqui da Barra).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passei a Barra do Garças pela primeira vez no mês de fevereiro. Lá, pude constatar que, realmente, a cidade tem potencial para ter um voo comercial.

      Excluir