sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Secretário garante internacionalização do aeroporto Marechal Rondon até abril e afirma que problemas com ar foram resolvidos

Da Redação - Wesley Santiago
Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto
Secretário garante internacionalização do aeroporto até abril e afirma que problemas com ar foram resolvidos
O secretário adjunto de Turismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Luiz Carlos Nigro, garantiu que a internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá), deverá acontecer até abril, como determinou o governador Pedro Taques (PSDB). Ele ainda afirmou que os problemas com a refrigeração do terminal já foram sanados e que a obra “está andando bem”. A obra está orçada em R$ 83,4 milhões.

“A obra ainda não avançou muito porque está chegando bastante material ainda. Já temos a torre de refrigeração pronta, mas falta fazer o quadro elétrico. Ao todo, são cerca de 60 homens trabalhando. As pessoas não conseguem enxergar muito do lado de fora, mas eles estão realizando serviços internos”, garantiu o secretário. Recentemente, o governador Pedro Taques havia dado um puxão de orelhas no secretário de Cidades, Eduardo Chiletto, ao encontrar apenas 15 homens trabalhando no local.

O chefe do Executivo determinou que o Aeroporto de Cuiabá esteja com a internacionalização pronta até abril deste ano, quando acontece um encontro de vários países no estado. Para Nigro, tudo se encaminha para que este cenário se concretize: “Estamos aguardando a finalização do projeto por parte da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), para depois irmos com força total”.

A questão da regularização da Receita Federal, para que os voos internacionais possam voltar a ser operados, também está dentro deste conjunto de adequações. O secretário ainda confirmou que o problema com o ar condicionado na sala de embarque foi resolvido. Antes, os passageiros reclamavam do excessivo calor no local, além de goteiras.

Obra

Ao todo, a obra que teve início em dezembro de 2012 tem um custo estimado de quase R$ 84 milhões. Até o momento, R$ 60,7 milhões já foram pagos ao Consórcio Marechal Rondon, formado pelas empresas Engeglobal Construções, Farol Empreendimentos e Participações e Multimetal Engenharia de Estruturas. De acordo com a assessoria de imprensa da Secid, além de ampliar a qualidade do espaço, a conclusão da obra será revertida em melhorias econômicas para o Estado.

Conforme o contrato 065/2012, além da construção do terminal de passageiros, fazem parte da obra a instalação de pontes de embarque, reforma e adequação de vias de serviço, nova sinalização horizontal do pátio de aeronaves, assim como a reforma, adequação e ampliação do sistema rodoviário interno do aeroporto. Também está prevista a construção da Central de Utilidades, de nova área de equipamentos de rampa, ampliação dos sistemas de infraestrutura básica e ainda a construção do estacionamento do novo prédio administrativo da Infraero.

Ponto estratégico

Recentemente, o ex-ministro da Aviação Civil (SAC), Eliseu Padilha, disse que por sua posição geograficamente estratégica, o Aeroporto Internacional Marechal Rondon, na região metropolitana de Cuiabá, será adequado para recebimento de voos internacionais, especialmente para países da América Latina. Localizado no centro da América do Sul o ponto deverá se tornar um terminal aeroportuário de ‘hub’ (centro de conexão) para atender o mercado de passageiros do Mercosul. 

Um comentário:

  1. Veremos o andar dessa novela nos próximos capítulos...

    ResponderExcluir