sexta-feira, 17 de abril de 2015

Passageiros tomam 'banho forçado' no aeroporto de Cuiabá, enquanto ônibus da Infraero ficam encostados

Do Internauta
space space
space
space
space
space
 Pelo menos 350 passageiros tomaram ‘banho forçado’ na tarde desta quinta-feira (16), ao descerem de vôos de outros estados e do interior, no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande. Eles deveriam ter sido transportados da porta da aeronave até o hangar de desembarque pelos ônibus da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).
Algumas pessoas ficaram completamente ensopadas e houve casos de quem estivesse se recuperando de gripe e resfriados, com risco de piora, além de deficientes físicos. A reportagem purou que existem quatro ônibus, sendo três novos em folha, em condições de transportar passageiros, mas encontram-se parados por falta de motoristas qualificados – o Ministério Público Federal (MPF) não autorizou a Infraero a contratar motoristas temporários, CNH ‘E’,  recomendando a realização de concurso público. Desde de fevereiro de 2013 é que a Infraero tenta realizar, em vão, concursos para contratar motoristas de ônibus para nove aeroportos.
 
Outra alternativa seria o funcionamento dos fingers – túneis que ligam o hangar até o interior das aeronaves. O serviço também funcionou somente durante a Copa do Mundo e, depois, passou a ser usado alternadamente, até, enfim, ficar abandonado.
 
O serviço de transporte de ônibus funcionou normalmente durante a Copa do Pantanal Fifa 2014, entre 12 de junho e 13 de julho do ano passado. Na época, o Aeroporto de Cuiabá – embora esteja localizado em Várzea Grande – chegou a receber vôos internacionais, operado pela Companhia Amaszonas, a partir do Aeroporto de Viru Viru, de Santa Cruz de La Sierra (Bolívia).
 
O superintendente da Infraero em Mato Grosso, João Marcos Coelho Soares, não atendeu nem retornou às ligações da reportagem.
 
O Aeroporto Marechal Rondon está em obras há mais de 10 anos.  Antes da Copa, a Infraero defendia que as obras no Terminal Marechal Rondon  ficaria  pronto para a Copa do Mundo, em condições de atender a demanda de turistas. Não ficou pronto.
 
A obra de reforma e ampliação está sendo executada pelo Consórcio Marechal Rondon, composto pelas empresas Farol, Engeglobal e Multi Casa. A obra, que teve inicio em fevereiro de 2005 e, depois, retomada em abril de 2012, foi inicialmente orçada em R$100 milhões, com previsão de ser inaugurada em maio de 2014. A projeção não se confirmou.

Fonte: Cenário MT

0 comentários: